22 ºC
AO VIVO

13/09/17

Agudo fica bem no mapa

Por Jornalista Romar Rudolfo Beling









Quando viajo para região ou cidade, Estado ou País que ainda não conheço, acerca dos quais não tenho muitas referências ou informações de localização e geografia, uma primeira providência é adquirir um mapa local. Dificilmente alguém conseguirá formar impressão ou opinião sobre algum lugar sem que tenha presente sua distribuição espacial, sem memorizar ou conhecer aspectos, a começar pelos pontos cardeais. Algumas perguntas colocam-se de imediato para um viajante: em que direção fica o quê? Baseando-se pelo curso do sol descobre-se onde estará o Norte e onde o Sul, mas não se saberá de imediato para que lado ficam um bairro ou um ponto turístico que buscamos.

Dia desses ocupei-me em localizar no mapa pontos do território de Agudo. Nascido no município, tenho presente onde ficam as localidades. Mas por vezes uma vida inteira morando num lugar ainda não nos abre os olhos com convicção sobre os melhores caminhos para chegar a um outro ponto. Por  exemplo: o leitor já terá parado para refletir sobre a distância que separa os extremos leste, na região serrana, em Linha dos Pomeranos, na divisa tripla com Lagoa Bonita do Sul, Cerro Branco e Paraíso do Sul, e o sul, do Porto Alves e seus arredores, na divisa com Paraíso do Sul e Restinga Seca? São quase outro município. É provável que muitos moradores de ambas as localidades nunca tenham visitado a outra região. O mesmo vale para o Cerro da Vilma, no extremo norte, na divisa com Nova Palma e Ibarama, ou para Linha dos Coqueiros ou Várzea do Agudo, no oeste, ambas, como sugere o nome desta última, ao longo do Jacuí.

Entre elas situam-se dezenas de pacatas localidades, dedicadas a diferentes atividades agrícolas, pecuárias e de produção e industrialização, cada uma com sua história e com sua rotina. É para esta realidade que se começa a olhar, mirando para curiosidades, quando se tem diante de si o mapa do território, e seria fundamental que em cada escola do município houvesse um mapa bem detalhado à disposição dos alunos. Uma das primeiras conclusões evidentes é de quanto se torna importante a consciência geográfica e toponímica (dos morros e acidentes naturais) de um lugar. Quando um cidadão sai da escola sem ter prestado muita atenção ou sem ter dado o devido valor à Geografia, ele fica meio perdido. Não por acaso, tantas pessoas com problemas de senso de localização precisam tanto se valer de outros para informá-las sobre para onde fica o quê? E não é diferente com a memorização de nomes de estados, países e suas capitais, ou cidades do Brasil ou da América, ou ainda sobre os países que compõem a África, a Europa, o Oriente ou a Ásia. Não são poucos os que se propõem a enfrentar uma viagem e não fazem ideia alguma de para onde estão indo. Perto ou longe, o mundo é sempre mais rico e divertido quando sabemos onde fica no mapa.

Em Agudo, uma particularidade é a incrível localização geodésica da cidade e do próprio município. A cidade fica extremamente bem-localizada em termos espaciais em relação ao norte e ao sul, e mesmo quem vem do leste ou do oeste rapidamente consegue chegar até o centro urbano para resolver demandas. Os moradores localizados na longa faixa que margeia o Rio Jacuí, claro, estão bem mais perto da cidade, mas os demais também facilmente chegam até ela. E mais incrível ainda é quando se providencia um mapa do Rio Grande do Sul e se localiza Agudo neste território. É nada mais nada menos do que o centro geodésico, o ponto exato no centro do mapa do Estado em todas as direções, diferencial que certamente divide com Paraíso do Sul. Em relação a Paraíso, então, seria possível brincar que no centro centrinho do Rio Grande do Sul fica o... paraíso!

O que transparece no município de Agudo visto no mapa são a grandeza de seu território, a sua variedade, a sua diversidade e os seus pontenciais. Estendido como um manto do alto da serra, a mesma área que começa a conformar o Centro Serra do Estado (com o residual da Mata Atlântica e os campos dedicados a tantas atividades agrícolas e pecuárias), até as férteis várzeas ao longo do Jacuí, artéria e caminho que conduz rumo à capital, Agudo é um encanto para os olhos, um cadinho da melhor e mais eclética cultura, e seu crescimento socioeconômico recente só reafirma essa importância cultural. Agudo fica muito bem no mapa, é fundamental que se enfatize.





Rádio


Contato
Institucional
Equipe
Programação
logo

desenvolvimento Universo Web

Conteúdo


Áudios
Colunas
Galeria de fotos
Notícias



×
Voltar